A NOSSA HISTÓRIA

CONSTRUINDO NOSSA EMPRESA À DISTÂNCIA

Oi gente!!!

Primeiramente obrigada por nos seguir, e nos dar forças neste momento tão difícil.

Esse texto não é para contar um “case de sucesso”, ainda não, mas um dia vamos aparecer na capa da revista Pequenas empresas, Grandes Negócios, Exame, Forbes com os braços cruzados de executiva sabe? Rs

Mas sim de duas irmãs que estão começando, e queríamos compartilhar com vocês nossa trajetória até aqui, atualizando os perrengues, as felicidades, conquistas, perrengues (de novo, rs). Lembrando que toda nossa empresa foi feita à distância, com incessantes chamadas de vídeos da Isa  na Austrália com horas de diferença, e depois mudando-se para Portugal, e eu por aqui no Brasil. Engraçado que tem muito a ver com o que estamos vivenciando agora com o Coronavírus, e muitas pessoas não sabem como começar pelo distanciamento. E olha só, tem jeito sim! e tomara que a gente consiga inspirar algumas pessoas!

A Isa morava na Austrália (do ano de 2014 até 2017). Ela estudava design por lá, e conheceu uma marca que amamos muito chamada HUX baby. A marca ainda era pequenininha, devia ter no máximo 1500 seguidores no instagram (@huxbaby) achamos incrível essa moda branco e preto para crianças.  Já que aqui no Brasil ainda não tinha, a Isa trouxe para o meu filho um conjuntinho da HUX, e ficamos doidas! Queríamos de qualquer jeito trazer essa tendência para cá.

Nesse meio tempo de brainstorming, já tínhamos traçado um escopo para nossa marca. Criamos alguns desenhos e algumas ideias do que queríamos, e até um outro nome. Bem legal por sinal, mas resolvemos mudar (depois conto mais sobre isso). A Isa lá na Austrália e eu aqui, sempre fazendo chamadas de vídeo. Que maravilha que é a tecnologia né? Felizmente, a distância não é desculpa para nada! E é assim que trabalhamos, e está dando certo!

Mas com as loucuras da vida materna, e a Isa se mudando para Portugal, deixamos o nosso pequeno/grande projeto de lado. =(

A Isa ainda continuava a estudar Design em Portugal e eu me entregando de cabeça à vida materna que a maioria de vocês sabe que não é fácil… Eu digo que nós mães deveríamos ganhar como um CEO de uma empresa. Rs. Verdade!

Ainda quando conversávamos, sempre falávamos desse projeto, parecia que tinha um chamado. Toda vez parecia que tinha uma pendência… Que tínhamos que seguir em frente! E acreditar.

E eu (Carol) não queria voltar ao mercado de trabalho. Pois eu não era feliz com o que eu trabalhava. Eu ainda não havia me encontrado.

Então, em um belo dia, fizemos a nossa milésima chamada de vídeo e decidimos! VAMOS? Vamos gente!!!! (Com frio na barriga).

A Isa começou dia e noite a estudar. Nessa época, a moda branca e preta para crianças já tinha chegado aqui no Brasil (Aliás tem umas marcas Brasileiras que a gente ama, depois colocamos aqui) e precisávamos nos inspirar em outras coisas. Começamos a pesquisar bastante, fomos em muitos museus, assistimos filmes, conversamos com alguns pais, pesquisamos as tendências e assim, pouco a pouco as ideias foram surgindo…

Por que não uma roupa preta e branca e ao mesmo tempo colorida? E já que somos adeptas ao minimalismo (não só o estético), queríamos algo que fosse versátil, que fosse prático, e que durasse bastante. Que fosse simples! Como nós somos! 

Nós ainda queríamos o branco e preto, mas também uma roupa colorida… Bem simples, mas ao mesmo tempo divertida. Então foi quando a Isa teve a brilhante ideia de fazer roupinhas dupla face! Queremos tudo! Queremos duas roupas de uma vez só, queremos menos roupas no armário, mais praticidade!!! 

O nome veio junto com a ideia da roupa. Foi aí que a Isa, depois de muito tempo de estudo, me disse: “Carol! on&off kids, tira e coloca a roupa. Lado ON roupas com cores mais vivas e OFF cores mais básicas. Crianças ligam e desligam coisas, brinquedos, maquinas de lavar, a luz, etc” rs. Que criança que nunca fez isso? E que pais que nunca fizeram essa pergunta: “Essa criança tem o botão de desliga?” haha.

E pronto! Tínhamos o escopo, nome, modelo, a ideia, mas não tínhamos a principal coisa: Fornecedor. Sim, a parte mais difícil e que achávamos que ia ser a coisa mais fácil de se achar. Fuen, Quebramos a cara… rs…

Nossa família por parte de mãe sempre foi do ramo da confecção. Lembro quando era criança que acordava na casa do meu avô lá no interior de São Paulo com o barulho dos cortes de tecido e o cheiro da malharia. Que saudade! Mas a fábrica deles pegou fogo, e eles nunca mais quiseram trabalharam com isso. Então precisávamos começar do zero, mas com algumas dicas da nossa mãe que trabalhava com costura desde pequena.

Juro, ligamos para uns 2352698 fornecedores. TODOS diziam assim: “Só fabricamos 250 peças por modelo”. Oi? Primeiro: Onde vamos arranjar dinheiro para tudo isso? Segundo: Onde vamos colocar tudo isso de roupa? PlmdDeus?

Teve um fornecedor que quase fechamos negócio. Fomos até a fábrica dele. Ele era especializado em fazer roupas para bebês com quantidade pequena de peças, mas aí o cara SUMIU do mapa! Não respondia nossos e-mails… Ficamos arrasadas! Juro que quase pensamos em desistir. Mas como tudo na vida tem o tempo certo, e se você confia e segue sua intuição…

Tinha um telefone que estava anotado no cantinho do meu caderninho e eu já tinha tentado falar, mas não houve resposta no dia, e eu esqueci dele… Então resolvi ligar novamente e felizmente ele atendeu! Era um consultor de moda infantil que trabalhava no ramo há muito tempo. Adoraram a ideia e nos ajudaram com tudo! Eles são dois anjinhos na nossa vida!  Com os pré-requisitos de ser uma moda sustentável, ter menos desperdício de tecido, que fosse algo que ajudasse a economia Brasileira, que as pessoas nas oficinas fossem bem tratadas e que não fosse muito grande. E seguimos juntos até hoje.

E é aí que começa nossa jornada. Achávamos que ia ser super fácil! “Ah vamos vender na internet, super tranquilo” AHAM! Só que não! Rs… Principalmente com filho, mas isso é um assunto para outro texto. Rs.

Estamos penando até hoje! Marketing digital é algo complexo, que nós nunca tínhamos visto antes, já fizemos váaarias coisas erradas, quebramos a cara (continuamos a quebrar). Quem tiver alguma dica, pode falar com a gente! Ahahaha.

Ah e claro, a barreira da distância com a Isa e as famosas chamadas de vídeo: Não é mole não gente! A Isa e eu NUNCA sentamos em uma mesa juntas pessoalmente para discutir sobre a on&off. O momento que íamos nos encontrar, era agora na feira Pitanga que ia acontecer no final de março, mas tudo ficou paralisado por conta da pandemia. A Isa por segurança cancelou o voo (e logo todos foram cancelados) Poxa vida. Também estava com saudade da minha irmã!  Mas, foi por um bem maior!

Para montar uma empresa pelo whatsapp é um desafio e tanto! Horários super confusos, eu sempre estou com meu filho, sempre há interrupções. Estar em casa sempre há uma distração e pode atrapalhar um pouco nossa comunicação. A Isa recebe as roupinhas por correio e isso pode levar um tempo para aprovação. As reuniões com fornecedores são feitas por chamadas de vídeos também (e vocês sabem que a internet dá aquela falhadinha… rs), e ela nunca teve a oportunidade de conhecê-los pessoalmente. Ufa! 

Sim, estamos neste momento da empresa: Ainda quebrando a cara hahaha. Verdade mesmo ué.

Claro que muita coisa boa já aconteceu. A felicidade da primeira compra de uma cliente. Ficamos tão nervosas, não sabíamos nem como agir e vender (certeza que ela percebeu hahaha).

Quando algumas blogueiras que amamos (depois vamos colocar aqui também), usaram nossas roupinhas.

Quando as vendas começaram a aumentar…

Quando as clientes nos dão feedback que amaram…

Quando mandam fotos dos pequenininhos de on&off (nós morremos sério!)

E quando saímos na revista CRESCER? Gente sério, no dia eu não tinha entendido como que fomos parar lá. A Isa e eu dávamos gritinhos e pulos por chamadas de vídeo! (aquelas haha)

E é isso que nos faz levantar todo dia! Ver a carinha desses bebês lindos, a aprender mais, para testar coisas novas, para deixar vocês felizes, para eu poder trabalhar e ficar mais perto do meu filho. Ganhando menos com certeza, porque larguei meu emprego para me dedicar a maternidade (graças a Deus tive essa oportunidade, algumas de vocês mamães não, e eu admiro muito a força que vocês tem de deixar suas crias e partir para o ganha-pão!).

E é isso… Seguimos juntas de uma maneira simples, porque é a simplicidade que traz a felicidade. E mesmo na distância a coisa funciona. Funciona mesmo!!!

E aí? Vamos juntas? Vamos começar algo que está dentro da sua alma? Alguma coisa que está te perseguindo faz tempo? Por que não??

Nada é impeditivo!!!

E de verdade, esperamos que de alguma forma esse texto tenha te inspirado!

Qualquer coisa fala com a gente, estamos aqui!

Bjs! (Texto da Carol com aprovação da Isa rs)